quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Little Miss Sunshine - Uma Família À Beira De Um Ataque De Nervos (2006)

A Carrinha Mágica

Que delícia é este "Little Miss Sunshine"! São poucas as obras que conseguem unir tão bem a comédia inteligente com a mais aconchegante das ternuras e, nesse sentido, o filme triunfa por completo. Este road-movie atípico narra as desventuras de um clã disfuncional ou simplesmente excêntrico: o pai é um anti-losers convicto e guru da superação pessoal que tenta desesperadamente promover uma estúpida teoria dos 9 passos; o filho dedica-se à leitura compulsiva de Nietzsche e está já há alguns meses a cumprir um estranho voto de silêncio; o tio é um homossexual deprimido que falhou na sua tentativa de suicídio; o avô caracteriza-se por ser um hippie decadente e cocainómano com a língua bastante afiada; a mãe é o elemento mais equilibrado, que tenta por tudo ligar as pontas soltas entre os vários elos da família; e, finalmente, no meio de tanta peculiaridade está a benjamim Olive, uma simpática devoradora de concursos de beleza infantil que consegue mobilizar todos os adultos em direcção à famosa competição "Little Miss Sunshine", certame em que a menina faz questão de participar e que se realiza a largos quilómetros do lar. É aqui que entra a outra personagem do filme: a extravagante carrinha amarela, que é decididamente tão temperamental quanto os elementos humanos que nela se fazem transportar. É este problemático veículo que irá levar os Hoover ao seu objectivo, mesmo que tenham de passar por uma série de atribulações e algumas tragédias existenciais.

"Little Miss Sunshine" faz a apologia da importância da família, que neste caso se une em torno de um objectivo não muito estimulante, mas válido para afirmar o amor que existe entre todos (embora este sentimento se encontre algo abafado). Ao princípio, o filme pode dar a sensação de que vai manter as suas personagens apenas no patamar da caricatura, mas isto é só uma ilusão. Com o desenrolar da narrativa vai-se assistindo ao aprofundar da dimensão humana de cada um daqueles seres, sendo este um daqueles tópicos raras vezes tido em conta nas comédias. Curioso é também o facto de, durante a viagem, ser perceptível a contemplação às paisagens do interior dos EUA: apoiando-se numa fotografia de pasmar (e numa banda-sonora envolvente), o filme faz o retrato de uma América apelativa e capta um certo way of life, permitindo ainda que o espectador sinta que está dentro da carrinha com aquelas pessoas. No fundo, celebra-se a movimentação e a exploração de novos rumos como sendo condição sine qua non para o agregar de um clã à beira do colapso.

Quando o filme se começa a aproximar do fim, a acidez irrompe para parodiar o ridículo que habita nos concursos de beleza infantil. Os planos finais são de uma doçura extrema e ricos também em gargalhadas ruidosas. Porque as grandes comédias querem-se assim: capazes de nos comover enquanto estamos perdidos no riso...


Classificação: 4/5

23 comentários:

Anônimo disse...

vim dar aqui nem sei como... já que aqui estou será que podia dar-me alguns nomes de filmes realmente assustadores? o bom cinema de terror? é que tenho saudades de ser realmente amedrontada.. obrigada

Pattie disse...

É um Road Movie fabuloso... e o final é realmente uma mistura entre o doce e o hilariante, como dizes.

P.R disse...

Entao e a outra estrela ficou aonde? :P

Abraço

curse of millhaven disse...

foi um serão bem passado hein ;)


***

H4rdDrunk3r disse...

ai foram juntos ao cinema? =P

Betty Coltrane disse...

não, sessão em minha casa! :D



foi muito muito bom! excelente escolha e crítica, como sempre, senhor cataclismo! ;P

beijoca!

Maria del Sol disse...

Até fico na fossa por não ter ainda visto o filme... mas numa coisa tens razão, as grandes emoções confundem-se, não é por acaso que o riso nos leva às lágrimas :)

Beijinhos, bom fim-de-semana.

rita disse...

por acaso, um dos meus filmes preferidos.
sem querer implicar, eu ter-lhe-ia dado 5 estrelinhas.

gonn1000 disse...

Um bom filme, mas muito sobrevalorizado. Há muitos filmes independentes bem melhores que não obtiveram metade do destaque. Vamos lá ver se "Juno" também não tem mais fama que proveito...

halloween 77 disse...

Gostei do filme, mas não o consigo adorar como muitos o adoram... mas isso sou eu, que não sou o maior fã das comédias...
boa critica

Cataclismo Cerebral disse...

Anónimo: Olá. Recomendo o Evil Dead, The Shining (excelente terror psicológico), The Exorcist, A Nightmare On Elm Street e The Descent.

Pattie: Mistura tudo de forma bastante satisfatória.

P.R: Fico-me pelas 4, o que significa que o filme agradou-me bastante.

Curse: Foi um bom filme para se ver em grupo e um serão muito bem passado :)

h4rdd...: A amiga Betty proporcionou-nos um serão muito agradável.

Betty: Mais uma vez thanks pela sessão! Obrigado pelos elogios :)

Maria: É esse o espírito deste filme. Recomendo vivamente!

Rita: Não há quaquer problema, diga de sua justiça ;)

Gonn1000: Percebo o que dizes, mas mesmo assim esta fita merece uma boa classificação da minha parte; tocou-me muito este pequeno filme.

Halloween77: Também não sou dos maiores fãs de comédia, mas faço justiça àquelas que me dizem algo.É o caso desta...

Bjs e abraços

Carlos Pereira disse...

A mim também me tocou muito esta pequena pérola. É um filme delicioso ;)

Abraço.

wasted blues disse...

Um belo filme, arrebatador na sua complexa simplicidade.

Cataclismo Cerebral disse...

Carlos: Simples e comovente! ;)

Wasted Blues: Acho que essa definição diz tudo...

Abraços!

Luís disse...

é um filme único e extremamente divertido e honesto. e o steve carrel é um grande actor!

Joana disse...

um dos meus filmes favoritos :)
sem dúvida!

Cataclismo Cerebral disse...

Luís: Foi uma bela descoberta de filme. E Steve Carell está prodigioso!

Joana: E que boa escolha que é!

Abraços!

_Loot_ disse...

Não acho que tenha sido sobrevalorizado acho-o um belo filme.

Abraço

Cataclismo Cerebral disse...

Também acho... Tem muita dignidade quando comparado com outras nulidades ditas cómicas que por aí andam.

Abraço!

landfill disse...

Estou agora a entrar no mundo do cinema e a tentar perceber melhor o que os filmes me conseguem transmitir, e este foi um que conseguiu apanhar-me despercebido e enfeitiçar-me da melhor maneira possível. Alan Arkin, para mim numa grande interpretação, sem querer deixar ninguém de fora num filme tão bom como este.

Cumprimentos

Cataclismo Cerebral disse...

Landfill: E eu estou de acordo contigo ;) Bem-vindo, já agora!

Abraço

Anônimo disse...

esta é das melhores comédias que tenho visto, e parece que nem se esforça muito para isso, é tudo feito com uma naturalidade e humildade que nos permitem (re)vermo-nos naquela família, não acho que o Juno, e isto são opiniões, se possa comparar a Little Miss Sunshine. Já agora gon1000, que outros filmes independentes?

Rosie disse...

Então??? Mais uma estrelinha não seria pecado nenhum não é?=)
Sem dúvida uma das melhores comédias dos últimos anos. É um filme absolutamente fantástico, cheio de boas representações, realização soberba, diálogos brilhantes... Enfim, sou suspeita por adoro este filme.
Abraços!