quinta-feira, 15 de maio de 2008

Lars and the Real Girl - Lars e o Verdadeiro Amor (2007)

A Intrusa Adorável

Uma bizarria com um grande coração, é assim que apetece definir esta surpreendente comédia dramática de Craig Gillespie! O filme indie que poderia muito bem ter resvalado para o terreno fatal da one long joke revela-se, afinal, um conto honesto sobre a tristeza da solidão e a luminosidade do optimismo. Quanto a mim, estamos perante uma das obras do ano, capaz de agradar quer a um público alternativo, quer a um público comercial...

No centro da história está Lars Lindstrom, um jovem com graves dificuldades de interacção social e hiper-sensível a um simples toque. Preso no seu próprio mundo, Lars chega à conclusão que necessita de uma reviravolta urgente. Assim sendo, não perde mais tempo e decide comprar uma sex doll via Internet, apresentando-a logo de seguida a familiares e amigos como sendo a sua namorada Bianca. De início, a perplexidade instala-se na pequena comunidade onde Lars reside, mas rapidamente os habitantes decidem abraçar aquela peculiar intrusa, integrando-a nas diversas áreas do seu quotidiano e percepcionando-a como humana.

Garanto que não há espaço para dúvidas: o mau gosto não mora aqui, o humor é acertadamente subtil e quanto a histrionismos, nem vê-los. Existe um equilíbrio notável entre as doses de comédia e de drama, convenientemente suportado por um conjunto de interpretações que se encontram em perfeita consonância com os objectivos do filme. Ryan Gosling, o actor nomeado para o Óscar com Half Nelson, é excelente na criação de um Lars avesso a maneirismos que o pudessem rotular de louco ou pervertido. A sinceridade da sua composição chega a ser comovente, fazendo com que se simpatize de imediato com Lars. Gosling demonstra, uma vez mais, que domina o underacting em todo o seu esplendor.

O registo límpido da realização conjuga-se com a simplicidade do todo e a banda-sonora em tom quirky assenta que nem uma luva na peculiaridade do argumento. Bem vistas as coisas, é possível trilhar um campo repleto de minas e alcançar uma gloriosa meta de sensibilidade!


Classificação: 4,5/5

9 comentários:

Fifeco disse...

Já estava ansioso por ver este filme há bastante tempo. Quando vi a tua nota e li a tua crítica, a ansiedade quanto à sua visualização aumentou exponencialmente. Amanhã devo ir vê-lo e depois volto para reportar a minha opinião.

Abraço

Fifeco disse...

Já vi o filme e já postei a crítica. De facto estou em absoluta acordo com a tua opinião. 4,5 em 5 ou 9/10 é a minha avaliação.

Abraço

blog da pipoca disse...

Não daria uma nota tão alta, mas ainda assim é uma comédia fresca no panorama que por aí anda nas salas.

Já agora, qual o melhor filme de Spielberg? Para votar vai a www.revoltadapipoca.blogspot.com

Abraço

Maria del Sol disse...

Ainda não tinha ouvido falar deste filme, mas parece ter tudo para me agradar. Tenho mesmo de vê-lo, assim como "Half Nelson", que ando há que tempos para alugar. Obrigada pela sugestão. :)

Beijinhos e bom fim-de-semana.

Hugo disse...

O história parece no mínimo bizarra, mas seus comentários são bons.

Não conhecia este filme.

Abraço

Isabela disse...

Curiosa, mas ainda sem chances de assistir.

blueminerva disse...

Sensível, fresco, bizarro e surpreendente. Ryan Gosling é um caso sério no actual panorama do cinema.
Um grande abraço

ღ mey ♥¨`*•.¸¸.•*´¨♥ღ disse...

só a cara dele na capa vale ver o filme! mt bom

bjs

Cataclismo Cerebral disse...

Fifeco: O filme é uma surpresa muito agradável, não estava à espera que fosse tão bom...

Blog da Pipoca: O filme merece esta nota ;) É tão refrescante tendo em conta o seu género que merece todos os aplausos.

Maria: Não tens que agradecer ;) Este e o Half Nelson dão uma sessão excelente!

Hugo: Obrigado ;) O filme não está a ser muito divulgado, o que é pena. É uma bizarria com tanta qualidade...

Isabela: Aconselho sem reservas!

Blueminerva: É mesmo, Gosling possui qualidades artísticas muito respeitáveis.

Mey: O poster está engraçado, embora dê a falsa ideia de que Lars se trata apenas de um geek.

Abraços