quinta-feira, 3 de abril de 2008

The Mist - Nevoeiro Misterioso (2007)

Vieram do outro Mundo...

Uma pacata vila costeira é atacada por um súbito nevoeiro, após uma noite de intensa tempestade. Enquanto estão no supermercado local a fazer as habituais compras, um grupo de residentes da pequena comunidade apercebe-se da investida de uma estranha neblina. O pior é que nesse alastrar de nevoeiro escondem-se algumas criaturas de aspecto alienígena, com uma tremenda eficácia no extermínio de humanos. Como a massa atmosférica não consegue irromper pelos recintos fechados, os habitantes da vila vêm-se obrigados a permanecer no interior da superfície comercial, gerando-se assim um clima de paranóia e medo que não perde em nada na comparação com o que se passa lá fora.

Frank Darabont, o mítico realizador de Os Condenados de Shawshank, adapta mais uma vez uma obra do mestre do terror Stephen King (À Espera de um Milagre, com Tom Hanks, foi a outra adaptação de Darabont). E, verdade seja dita, não se sai nada mal. The Mist (que recicla o medo proporcionado por The Fog e The Thing, ambos de John Carpenter), enfatiza o modelo de terror clássico, em que o foco está todo direccionado para o seio das reacções/relações humanas. Mais fascinante do que a ameaça que despoleta a narrativa é o efeito que essa "sombra" pouco perceptível possui nas pessoas que a estão a viver. É verdadeiramente estimulante assistir a um bom filme que se serve dos mais actuais recursos tecnológicos para contar uma história com pés e cabeça, em vez de submeter o argumento a uma parafernália de efeitos especiais sem alma. Embora The Mist não concentre uma imensa qualidade no que diz respeito a essa manipulação digital de imagens, a verdade é que a competência do dispositivo dramático quase nos faz esquecer esse pormenor, tornando-se quase redundante o apuro visual.

Na suposta aparência de uma banal fita de horror, esconde-se afinal um filme muito decente que abarca genialmente outros géneros, funcionando tudo às mil maravilhas. O medo está lá todo, quer seja perpetuado pela ameaça exterior ou pela irracionalidade da natureza humana (tal como em The Thing, não sabemos qual das duas opções nos aterroriza mais). Temas como a paternidade, o fanatismo religioso, a perda das regras sociais perante uma situação de crise extrema e o poder da paranóia colectiva aglutinam-se na agenda de um género que nem sempre se tem pautado por resultados brilhantes. Juntamente com a sobriedade da realização (aquela passagem de cenas destila old school por todos os poros) encontra-se a solidez do elenco, que eleva a qualidade das interpretações para um filme com esta temática. Especial destaque vai para Marcia Gay Harden, essa eterna secundária de luxo que nos manipula os nervos na pele da tresloucada religiosa, pronta a relatar as profecias da desgraça a todos os que lhe dêem a mínima atenção.

O fabuloso final é simplesmente dos melhores com que me deparei nos últimos tempos: a sua brutalidade, que encerra uma total falta de esperança e puro desencanto, acompanha-nos depois de sairmos da sala e faz-nos crer que este não é daqueles filmes que esquecemos facilmente assim que acabam.


Classificação: 4/5

10 comentários:

blueminerva disse...

Eu sou uma amante de filmes de terror... mas ainda não vi este "The Mist". A tua crítica aguçou-me o apetite... já está na lista!
Um abraço

looT disse...

Confesso que com a estreia do I´m not there, os outros filmes me tenham passado despercebidos, mas começo a achar mais apelativo este "The Mist".

curse of millhaven disse...

tb tenho mta curiosidade em ver este filme!

bjinhos e *saudades*!!!

Red Dust disse...

Tenho gostado de ler as várias opiniões sobre o filme, que apontam na direcção de um filme de qualidade.

O meu 'terror' é o seguinte: como é que vou convencer a patroa a ir ver este filme? :)

Fiquem bem!!!!!

Ricardo disse...

Só desgostei como disse no meu blog dos fade in e fade out nas mudanºas de capitulo. De resto, 5 estrelas. Abraço!

Cataclismo Cerebral disse...

Bluemnerva: Foi um filme que me surpreendeu (confesso que não lhe liguei nenhuma quando ouvi falar nele). É sempre bom ter surpresas...

Loot: Há filmes em cartaz que me prenderam mais a atenção, mas foi bom descobrir the Mist. Não estava à espera que fosse tão bom.

Curse: É um surpresa bem agradável amiga. E funciona para lá do campo do horror/suspense. Bjocas e saudades! :)

Red dust: Tem estado a ser bem recebido (e é tão raro ver um filme desta natureza com boas críticas). Pois, isso é que deve ser um terror. Dou-te um conselho: diz-lhe que o filme alarga-se a outros géneros e que tem um subtexto interessante.

Ricardo: É um belo filme! Curiosamente apreciei os fades, tão característicos dos filmes clássicos...

Abraços e bom fim-de-semana!

THE NADER disse...

Amei "The Mist". Darabont está de volta!

sonhadora disse...

Confesso q fiquei um pouco desapontada com este filme... pensei que tivesse mais sumo pelo meio! Mas concordo ctg... o final é muito bom mesmo.
Beijocas

gonn1000 disse...

Não achei brilhante mas também gostei, mesmo com algumas hesitações de tom. E sim, o final não se esquece facilmente.

Cataclismo Cerebral disse...

The Nader: É verdade, está de volta e em grande!

Sonhadora: :( Nunca se consegue agradar a todos os gostos, não é? ;)

Gonn1000: Sim, brilhante não é, mas é muito decente e tem resoluções dramáticas muito competentes.

Abraços!