sábado, 23 de fevereiro de 2008

A (Re)Descobrir...


-
A Passagem Da Noite (2004): Mariana, uma jovem de 17 anos, é violada por um toxicodependente. Mais tarde, ao descobrir que engravidou, decide esconder esse facto de toda a gente, esforçando-se ao máximo por disfarçar a natural transformação do seu corpo. Durante esses meses de pura angústia, a rapariga acaba por fazer a passagem da adolescência para a maturidade. "A Passagem Da Noite", um belo exemplo daquilo de bom que se faz em Portugal em termos cinematográficos, é um drama sóbrio que se desprende dos esquematismos advogados pelas produções televisivas. O filme contém um universo afectivo muito bem construído e evita o terreno da vitimização da personagem principal (Mariana é a determinação em estado puro, é alguém que rejeita categoricamente o sentimento de pena, nunca se entregando ao facilitismo do "choradinho"). Faço justiça a Leonor Seixas, confessando desde já que não conheço o trabalho dela na ficção nacional televisiva. Contudo, a sua interpretação é de uma honestidade tal (e de uma luminosidade também) que torna-se impossível não lhe fazer a devida vénia. De Luís Filipe Rocha, o realizador de "Adeus Pai".

6 comentários:

Red Dust disse...

Um filme que passou algo despercebido.

Uma belíssima interpretação de Leonor Seixas. A história em si não será novidade, mas está muito bem construída.

A minha classificação: 8/10.

Paulo disse...

Apesar de não ser uma obra genial, é um filme interessantíssimo de Luis Filipe Rocha, um dos mais "sólidos" cineastas nacionais. E de facto, Leonor Seixas vai muitíssimo bem, carregando todo o filme às costas. Lembro-me que o vi em cinema aquando da sua passagem pela salas e ainda retenho algumas imagens bem vivas na memória...

blueminerva disse...

Não vi este filme.
Devo confessar caro cataclismo que não tenho o cinema português como exemplo na arte de bem fazer cinema... ainda. Destaco apenas 2 filmes que realmente gostei; "Alice" de Marco Martins e "Os imortais" de António-Pedro Vasconcelos.
Um abraço

Cataclismo Cerebral disse...

Red Dust: É um filme português digno e com real desejo de contar uma história com pés e cabeça.

Paulo: Sim, não é genial mas é um trabalho honesto que não se prende a facilitismos. E ainda bem!

blueminerva: Também não tenho uma grande relação com o cinema português. Acontece que apanhei tantas desilusões com as obras nacionais que só consigo enumerar pouquíssimos filmes de que goste realmente. Mas este aconselho e muito! Vale bem a pena!

Abraços!

José Quintela Soares disse...

Vi e gostei.
Excelente Leonor Seixas.

Cataclismo Cerebral disse...

Estamos no mesmo barco então...

Um abraço José!