sexta-feira, 2 de maio de 2008

Summer Of Sam - Verão Escaldante (1999)

Os Pecados Moram ao Lado

Spike Lee tem-se afirmado ao longo da sua carreira como um dos realizadores mais preocupados em integrar as especificidades da cultura americana nas temáticas dos filmes que desenvolve. Sempre atento às mutações da sociedade contemporânea (e dos seus múltiplos intervenientes), Lee tem conseguido criar obras de inegável apelo que extravasam os limites do seu país de origem e que permitem a outras nacionalidades edificar uma noção consistente do tecido social e cultural norte-americano dos últimos tempos. Dito de outro modo: o que o realizador nos dá é toda a complexidade de um jogo dramático em que se propõe que sejamos nós a tirar as devidas ilações. Filmes como Do The Right Thing, 25th Hour, She Hate Me e Girl 6 demonstram essa capacidade inata, revelam o interesse de Spike Lee em captar as convulsões perturbadoras do presente (tendo sempre em linha de conta a sua peculiar veia artística) e mostram ainda que é possível exalar subtileza em temas tão controversos.

Summer Of Sam tem sido, desde o seu lançamento, vítima de alguma indiferença por parte de público e crítica, uma vez que é preterido em relação a outros títulos mais mediáticos da cinematografia de Lee. Curiosa contradição: o mais marginalizado é muito provavelmente um dos melhores (senão o melhor) títulos da carreira do cineasta. Escrito em parceria com Michael Imperioli (um dos protagonistas da série Sopranos) e Victor Colicchio, o filme estreou-se nos EUA em 1999; cá teve honras de exibição em 2000, o que dá vontade de dizer a alto e bom som que se trata de uma das obras-charneira desta década!

O filme passa-se em Nova Iorque, nos idos de 77, durante uma sufocante vaga de calor: um temível serial-killer, auto-intitulado Son Of Sam, diverte-se a apavorar a comunidade local, tudo devido à sua peculiar fixação em assassinar mulheres morenas em espaço público. Perante esta ameaça aterradora, os habitantes do bairro começam a escrutinar as vidas alheias, em busca de indícios que possam conduzir à captura do perturbado homem. Entre esses moradores com os nervos à flor da pele encontram-se Vinnie (um cabeleireiro egocêntrico com tendência para espetar muitas facadinhas no casamento), Donna (a mulher de Vinnie que o ama incondicionalmente e que está assim disposta a virar os olhos às inúmeras traições) e ainda Richie (um grande amigo de Vinnie e um verdadeiro alienígena naquele bairro, cuja personalidade atípica choca com os valores reinantes). Até se chegar à identidade do agressor, o Bronx será o mais explosivo palco de traições, crimes e injustiças.

Apoiado num argumento envolvente e numa cadência frenética, Summer Of Sam é um mosaico social, cultural e psicológico de índole explosiva, que reinventa com grande dose de inteligência o mito de Caim e Abel. O filme é, no limite, um genuíno bailado nocturno de corpos, desejos, inseguranças e medos, devidamente condimentado com os sons, sítios e tendências da época. Spike Lee volta a filmar as ruas, as suas leis intrínsecas e os seus peões como só ele sabe, destrinçando os labirintos de ambiguidades de forte carácter inebriante. Aliada a esta estratégia está uma outra peça fundamental que é o valor simbólico do calor: tal como em Do The Right Thing, esse factor é um dos agentes que despertam a fúria interior das personagens que parecia estar anestesiada. Até o próprio serial-killer assume uma função de gestor da narrativa, já que é ele que "incentiva" as outras personagens à acção e que se relega depois para um segundo plano.

Sem esquecer o look enérgico que se encontra muito próximo de alguns videoclips arty e que é característico do meio publicitário (onde a noção de vertigem está muito enraizada), Spike Lee faz ainda questão de realçar as capacidades performativas do seu soberbo trio de actores: o eterno secundário John Leguizamo brilha a alto nível, Mira Sorvino é um portento de sensualidade e entrega que gostaríamos de ver mais vezes no grande ecrã e Adrien Brody compõe uma espécie de martir que coloca em causa a moral perversa daquela era. Sem papas na língua, digo que este é um dos enormes filmes dos últimos anos, de um senhor da ubiquidade que é também um dos mais influentes retratistas urbanos dos dias que correm!



Classificação: 5/5

12 comentários:

Luís disse...

um grande filme. concordo em absoluto com a nota 5. um spike lee com muito de scorsese. um dos melhores da sua carreira

um abraço

Joana disse...

aish :S
estou para ver este filme à tanto tempo!!

Hugo disse...

Há muito tempo quero ver este filme, mas ainda não tive oportunidade.

Spike Lee fez grandes, a força de "Do The Right Thing" é sensacional.

Abraço

Paulo disse...

É daqueles que sou capaz de ver e rever sem nunca me cansar. Adoro tudo no filme e, claro, a Mira Sorvino, por quem me apaixonei com os meus 15 anos quando a vi em "Mighty Aphrodite" :-P

MARNUNEFREI disse...

If you ain’t seen these movies, you ain’t lived!

Conversation with God
Dan in the real life
Fallen
Serendipity
Gattaca
Butterfly Effect
CelestineProphecy

Izzi disse...

Já vi este filme há alguns anos e nunca mais o revi. Gostei bastante na altura e concordo contigo em como é um dos melhores filmes de Spike Lee (pelo menos dentro daqueles que eu já vi).Parece-me que anda a rodar no Hollywood por estes dias. Tenho de ver se o apanho. Boa análise ;)

Cataclismo Cerebral disse...

Luís: Sim, tem muito sabor de Scorsese por aqui e no geral da obra de Lee. Mas sempre com o seu cunho pessoal ;)

Joana e Hugo: Estejam atentos ao canal Hollywood, foi lá que o revi há pouco tempo. Entre este e o Do The Right Thing o meu coração divide-se...

Paulo: Também nunca me canso de o ver. Fiquei embasbacado pela Mira Sorvino nesse filme do Woody Allen e no Romy e Michelle, um dos meus grandes guilty pleasures :S

Marnunefrei: Já vi 3 desses filmes :) Estarei atento aos outros...

Izzi: Sim, anda a rodar por lá. Com sorte ainda o panhas num destes dias. É um excelente filme que não merece a indiferença a que foi sujeito. Obrigado ;)

Abraços

blueminerva disse...

Caro Cataclismo,
Já vi quase tudo de Spike Lee. É um realizador que tenho acompanhado e pelo quel tenho um grande apreço. Tenho este "Summer Of Sam" em DVD e ainda não vi. Mas depois de ler a tua crítica, quer me parecer que não passa desta noite.
Um abraço

looT disse...

Já ando há um bom tempo com vontade de o rever ;)

Abraço

Cataclismo Cerebral disse...

Blueminerva: Já somos dois então a seguir atentamente as pisadas de Spike Lee ;) Se tens o filme em DVD não percas mais tempo. Tens um belofresco dos anos 70 à tua espera...

Loot: Está atento ao canal Hollywood; o filme tem lá passado com muita frequência.

Abraços

halloween 77 disse...

Grande filme, de longe o melhor de Spike Lee... pelo menos dos que vi

Cataclismo Cerebral disse...

É uma das obras-maiores dele, isso é mesmo. Grande filmaço!