quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Half Nelson - Encurralados (2006)

O Mundo dos Opostos

Que admirável filme é este "Half Nelson", uma das surpresas indie que estrearam em Portugal este ano! Ryan Gosling dá uma interpretação honesta e crúa enquanto Dan Dunne, um jovem professor de História com um vasto background cultural e com teorias muito próprias acerca dos opostos e das mudanças sociais. A sua forma descontraída de ensinar consegue cativar a turma, lançando debates que incitam à livre expressão e ao aprofundar de conhecimentos. Mas como todos nós, Dan não é perfeito: a sua aparência descomplexada esconde uma profunda dependência das drogas. O professor está perdido na monotonia e na decadência da sua atitude hedonista, mas mantém uma ilusão de que está tudo sob controlo. O seu quotidiano sofrerá algumas alterações no momento em que Drey, uma adolescente e aluna de Dan, descobre o seu secreto vício. Entre eles formar-se-á um delicado elo de cumplicidade, que poderá ser a bóia de salvação para ambos."Half Nelson" é uma proposta muito original no universo dos filmes de "professor e alunos", universo esse que nem sempre trouxe resultados muito estimulantes. Aqui o professor é tudo menos o politicamente correcto e é nesse preciso ponto que o filme imediatamente nos consegue arrebatar! A personagem de Rosling é fabulosa no sentido em que lhe é impossível associar qualquer rótulo sociológico, permitindo ao actor uma total liberdade de composição e colocando o espectador numa espécie de limbo moral. Neste filme não há espaço para discursos demagógicos ou sequer maniqueístas e a frescura de ideias com as quais nos deparamos tornam "Half Nelson" um objecto de enorme sensibilidade e radicalidade. Shareeka Epps, a jovem actriz que interpreta Drey, tem aqui o seu primeiro papel e o minímo que se pode dizer é que se trata de uma verdadeira descoberta. Shareeka é um prodígio de contenção e a sua personagem é comovente devido ao retrato realista que a actriz proporciona, já que cria, com grande entrega, uma carismática adolescente cuja réstia de inocência lhe está lentamente a escapar. A nível da narrativa e da realização, o filme assenta numa aura minimalista que pulula de personalidade, não recorrendo a artíficios e centrando-se exclusivamente nas suas personagens. O final, exímio no low-profile, é uma linda nota de esperança! Aconselho vivamente!


Classificação: 4/5

5 comentários:

Maria del Sol disse...

Fiquei com tanta vontade de ver! Tinha ouvido vagamente sobre este filme, mas agora que li a sinopse completa tenho quase a certeza que vou gostar.

Maria del Sol disse...

Estive a ver o trailer e tenho mais uma nota positiva a acrescentar: tem banda sonora dos Broken Social Scene. Já passou para a minha lista dos "must" :)

blueminerva disse...

Caro Cataclismo Cerebral,
Tenho lá em casa o DVD, mas a verdade é que ainda não surgiu oportunidade. E eu até aprecio Ryan Gosling. Talvez depois das festas natalícias.
Um abraço

leitao disse...

olá! infelizmente só agora é que fiquei a conhecer o cataclismo. Mas a falha já foi corrigida e o link já está na lista do HighLife!

Cataclismo Cerebral disse...

Maria: Acho que é um dos indispensáveis do ano! E sim, a banda sonora é bem boa...

Blueminerva: Depois desta quadra, prepare-se para um bom filme ;)

Leitão: Olá!Também já está "linkado" neste estaminé.

Bjs e abraços