quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Noite Escura (2004)

A Noite Da Tragédia

João Canijo é um dos melhores realizadores nacionais e também um verdadeiro autor que prossegue a sua caminhada na representação das diversas realidades portuguesas e dos rostos que as habitam."Noite Escura", baseado na tragédia "Ifigénia Em Áulis" (de Eurípedes), é mais um passo em frente nesse sentido e firma-se como uma das melhores obras do actual cinema luso. Numa zona rural, encontramos um bar de alterne com um ambiente tétrico, que será o centro das atenções numa única noite. O estabelecimento é explorado por uma família onde as relações se caracterizam por ser bastante intrincadas. Tudo parece estar sereno, mas as aparências atraiçoam: para saldar uma divída à máfia de Leste, o pai vê-se obrigado a entregar a filha mais nova (que tem pretensões numa carreira artística). Apenas a mãe e a filha mais velha parecem reagir a esta terrível situação, tentando evitar a todo o custo o destino da benjamim da família. "Noite Escura" é quase labiríntico na execução dos planos e no entrecruzar das relações afectivas que presenciamos. É inquietantemente onírico, mesmo que retratando uma paisagem social e humana perfeitamente identificáveis na realidade nacional. João Canijo consegue aqui uma subtil aproximação ao género noir e o rigor da mise en scène vem ainda completar todo o quadro. O elenco mantém o patamar de qualidade: Beatriz Batarda é comovente no papel da sofrida Carla, a filha mais velha do casal e Rita Blanco comprova porque é uma das melhores actrizes portuguesas. Quanto a Fernando Luís, actor que sempre achei algo limitado e preso a maneirismos na cena televisiva, revela-se um prodígio de sobriedade no papel de chefe do clã. "Noite Escura" resulta ainda como um excelente exercício de estilo, com uma aura de filme alternativo. Destaca-se de outras produções nacionais no que diz respeito à caracterização das personagens, ao renegar dos falsos moralismos e das artificialidades. Brilhante!


Classificação: 4,5/5

3 comentários:

H. disse...

Vi-o há uns anos e impressionou-me bastante. É uma tragédica clássica num cenário incomum, onde o mal parece sugar tudo... Dos desempenhos lembro a magnífica Beatriz Batarda, se está quase irreconhecível fisicamente... Mas preciso de o rever.

gonn1000 disse...

Um dos meus filmes portugueses preferidos. Também gostei bastante, mas tal como a H. preciso de o rever.

Cataclismo Cerebral disse...

H.: A Beatriz Batarda compõe uma personagem tão comovente neste filme... É uma belíssima actriz e o filme é muito muito bom ;)

Gonn1000: Também estou com vontade de o rever. O filme vale mesmo a pena!

Abraços