terça-feira, 10 de julho de 2007

Girl, Interrupted - Vida Interrompida (1999)

Dias De Loucura

"Girl, Interrupted" baseia-se numa parte da vida da escritora americana Susanna Kaysen que, nos anos 60, se viu recambiada para uma instituição psiquiátrica devido às suas tendências suicidas e aos indícios de personalidade borderline. Winona Ryder é assombrosa enquanto Susanna, uma jovem outsider que não consegue construir uma relação estável com os pais e que se perde em caminhos menos iluminados. O que ainda a mantém à superfície é a sua paixão pela escrita, prazer esse que ela assume como sendo aquilo que deseja fazer no futuro. Ao chegar à instituição, Susanna convence-se de que vai lá ficar apenas por algum tempo para descansar, mas com o passar do tempo e com a constante interacção com as suas companheiras de ala psiquiátria, percebe que possui graves problemas que necessitam de acompanhamento especializado. Entre as suas colegas, contam-se uma rapariga de cara desfigurada (a eterna menina inocente), a rapariga com distúrbios alimentares, a "obcecada pelos Valiums e frangos", a mentirosa patológica e a selvagem e manipuladora Lisa (Angelina Jolie, na interpretação que lhe valeu o Óscar), uma sociopata sem um verdadeiro lugar na sociedade. Susanna terá de avaliar a sua personalidade, compreender a sua doença e admitir alguns dos seus caprichos, de forma a poder ser reintegrada numa sociedade em plena mutação. Muitos afirmam que este filme tenta fazer uma aproximação descarada ao "Voando Sobre Um Ninho De Cucos", mas no feminino; sinceramente não concordo. O filme de 1975 tinha como tema a rebelião contra uma autoridade implacável e injusta, enquanto que este incide sobre a geração da contra-cultura dos anos 60, que não encontrou um rumo equilibrado e que, de certa forma, se tornou inadaptada para uma sociedade que ela própria ajudou a transfigurar e edificar. Ryder e Jolie são sublimes sem se anularem uma à outra e são excelentes na materialização de almas que foram traídas pela mitologia de uma era desconcertante. Não sendo uma obra-prima, é um filme delicado, desencantado e triste, que centra a sua atenção nas relações afectivas sem perder tempo com o cliché do normal versus maluco.


Classificação: 4/5

7 comentários:

Betty Coltrane disse...

A interpretação da Angelina aqui vele bem o Óscar, é assombrosa... Gosto deste filme tem cenas muito fortes. Bem lembrado!

beijoca!!!

João HB disse...

Vi-o ontem pela primeira vez e gostei, acho que o defines muito bem quando dizes que não é uma obra-prima mas um filme delicado, desencantado e triste. As interpretações de Angelina Jolie e Winona Ryder, de quem gosto especialmente, são realmente boas.

Abraço

niskas disse...

devo confessar que adoro este filme...e a Jolie!!!
bjos

Cataclismo Cerebral disse...

Betty: Concordo. Aquela mulher é selvagem!

João: É mesmo um bom filme. Também sou um fiel admirador da Winona :)

Niskas: Concordo absolutamente ctg ;)

Bjs e abraço

Anônimo disse...

Eu acho que é um filme absolutamente fantastico e que tanto a Angelina Jolie como a Winona Ryder são umas actrizes maravilhosas. É uma pena que a Winona Ryder não tenha ganho nem sido nomeada para um óscar.

Carolina Brandão

Cataclismo Cerebral disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cataclismo Cerebral disse...

É um filme bem bom, com duas senhoras que já não têm de provar nada a ninguém. Também fiquei com pena que a Winona não tivesse sido melhor reconhecida por este papel...