quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Retratos de Solidão



- "Notes On a Scandal - Diário de um Escândalo" (2006): Esta é a história de uma professora de meia-idade com sérias dificuldades em estabelecer laços sociais e afectivos. A sua intrincada personalidade leva a que fique obcecada por uma colega de trabalho com alguns segredos perturbadores. Embora este seja principalmente um conto sobre a obsessão, o tema da solidão contemporânea surge de forma muito subtil e triste. Com Judi Dench e Cate Blanchett;

- "The Hours - As Horas" (2002): Excelente crónica sobre a complexidade da alma feminina! "The Hours" debruça-se sobre a escritora Virgina Woolf e outras duas mulheres que se sentem profundamente inspiradas pela sua obra. As três encontram-se separadas no tempo, mas inacreditavelmente partilham rumos idênticos no que diz respeito à dor e à tragédia. A solidão aparece aqui como um inquietante estado de alma, apesar das três personagens principais estarem constantemente rodeadas de amigos e familiares. Com Meryl Streep, Nicole Kidman e Julianne Moore.

- "Lost In Translation - O Amor é um Lugar Estranho" (2003): A obra-prima de Sofia Coppola deve ser dos melhores exemplos deste tema. Este monumento minimalista à contemplação e à angústia existencial consegue entrelaçar eficazmente a comédia burlesca e a suave melancolia com a profunda solidão que teima em inquietar Bob e Charlotte (isto apesar deles se encontrarem nessa gigantesca capital que é Tóquio). Um filme de pequenos gestos e de grandes emoções... Com Bill Murray e Scarlett Johansson.

8 comentários:

Maria del Sol disse...

Vi "The Hours" e "Lost in Translation" e concordo em que são ambos brilhantes, assim como o romance do qual foi adaptado o primeiro. Falta-me "Notes on a scandal", que acredito ser igualmente um prodígio.

Beijinhos!

JHB disse...

O Lost in Transltion é um dos filmes que mais anseio por ver, o Note on a Scandal também me desperta grande interesse. Sobre As Horas não tenho nada a dizer, um dos meus filmes de eleição.

Burns the Kid disse...

Lost In Translation é um dos melhores filmes que já vi. O Bill Murray (esse ganda maluco) tá genial.

O Homem que Sabia Demasiado disse...

Três excelentes filmes, cada um à sua maneira. Dos três, prefiro o "The Hours"...

wasted blues disse...

Vi os três. Acho o "Notes..." o mais fraquinho e adoro os outros dois.

Cataclismo Cerebral disse...

Maria: O Lost In Translation e o The Hours ocupam os lugares cimeiros nos mesmos gostos. O Notes... gostei bastante mas confesso que poderia ter sido ainda melhor. Adoro o livro do Michael Cunningham.

jhb: Tens de ver o LIT, acho que vais adorar :)

Burns: Ah pois está. Ele até diz que, de todos os filmes que já fez, aquele é certamente o seu preferido.

OHQSD: Também é o meu preferido! É uma das grandes obras da minha vida, com um elenco que adoro.

Wasted Blues: Sim, o Notes é o menos bom dos 3, de facto. Acho que poderia ter sido bem melhor do que é (apesar de gostar do filme).

Bjs e abraços

H. disse...

De certa maneira todos os filmes da Sofia Coppola são filmes sobre a solidão... (Mas Lost in Translation e realmente a obra-prima dela até agora)

Cataclismo Cerebral disse...

Pois são H., mas este Lost In Translation ocupa e ocupará sempre um recanto especial no meu coração! :)

Bjs