sexta-feira, 13 de julho de 2007

Pleasantville - Viagem Ao Passado (1998)

As Cores Da Vida

David (Tobey Maguire) é um jovem fascinado com uma série de televisão dos anos 50, "Pleasantville". Certo dia, durante uma discussão com a sua irmã Jennifer (Reese Whiterspoon), algo de estranho ocorre e ambos são transportados directamente para o universo da tal série de TV. David e Jennifer passam então a fazer parte do elenco e envolvem-se na vida daquela peculiar comunidade onde tudo é pacífico, belo e a preto e branco. A pouco e pouco, as suas acções irão despoletar nas outras "personagens" sentimentos que estavam adormecidos e, a partir daí, inicia-se uma revolução cromática em Pleasantville. Este prodígio cinematográfico é uma ode ao encanto proporcionado pelas séries clássicas da televisão americana. Mas o filme vai muito mais além, com mensagens bem pertinentes: naquela localidade, todos vivem com emoções reprimidas (a paixão assolapada não é muito bem vista), os seus habitantes não conhecem mais nada para além daquela terrinha (isolamento) e tudo o que seja diferente é motivo de desconfiança e medo. De facto, a partir do momento em que alguns se começam a exprimir, logo vão ficando coloridos, o que vai causar uma onda de pânico naquela pequena sociedade conservadora e "cinzentona"; começa-se automaticamente a fazer as distinções entre quem é a preto e branco e quem é colorido (racismo). Até a "mãe" de David e Jennifer na série (super competente dona de casa) irá sofrer mudanças radicais, pois, ao querer alargar os seus horizontes e as suas emoções, irá ver-se confrontada com a sua forte natureza (a feminina) e com uma nova paleta de cores. O seu marido é que não vai achar muita piada e tentará, a todo o custo, oprimir a mulher. Pleasantville nunca mais será a mesma!!! Um daqueles filmes em que se aplica a expressão: more than meets the eye!


Classificação: 5/5

14 comentários:

Maria del Sol disse...

Uau! estou impressionada só com o trailer, agora já sei que se me cruzar com este filme no videoclube trago-o para casa sem hesitações... fiquei muito curiosa :)

sonhadora disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
sonhadora disse...

Deconhecia por completo este filme... é mais um para a minha lista de "A ver" :)

João HB disse...

Ainda não tinha prestado muita atenção a este filme, talvez porque o elenco não é muito do meu gosto, mas agora despertaste-me o interesse, é o tipo de filme que eu costumo gostar. Vou tentar ver.

Quanto ao meu blog eliminei-o, cheguei à conclusão que não lhe achava muita graça. Qualquer dia faço outro, já fiquei como bichinho da blogsofera e não vou resistir. :D

Abraço

Betty Coltrane disse...

Por acaso foi um filme que me deixou logo muito curiosa quando saiu! Ainda bem que tens o dvd.... ;P

Francisco Mendes disse...

Que fábulosa deliciosa... e tão desconhecido!

Aquela cena orgásmica da Betty (Joan Allen) é um tremendo momento cinematográfico.

Abraço!

Rosa disse...

Gostei imenso do filme quando o vi, adorei a banda sonora, mas de facto estava um pouco arrecadado no meu sotão. Acho que lhe vou tirar a poeira e rever quando puder. Boa sugestão ;)

Cataclismo Cerebral disse...

Maria: Não te vais arrepender ;)

Sonhadora: Aconselho vivamente o visionamento desta obra de arte :)

João: O filme encontra-se à venda na Worten a bom preço. E toca a criar outro blog, gosto da tua escrita!

Betty: O dvd está aqui à tua espera ;)

Francisco: É realmente pena que seja tão desconhecido! A cena da Joan Allen é um verdadeiro despertar...

Rosa: Toca a limpar o pó e a rever o filme :)

Bjs e abraços

Gonçalo Trindade disse...

Já há bastante tempo que ouço falar deste filme, mas infelizmente nunca o vi... mas depois desta tua crítica (e ainda tento em conta que em relação ao filme só tenho ouvido elogios), já me decidi: tentarei alugá-lo este fim-de-semana (tinha o "Letter from Iwo Jima" também em lista de espera, mas paciência... ou talvez alugue os dois!).

Abraço!

Cataclismo Cerebral disse...

Gonçalo: Creio que não sairás desapontado com este Pleasantville. Para além de ser um prodígio visual, tem um subtexto riquíssimo que dá que pensar. E depois conta com um elenco em estado de graça :)

Abraço e bons filmes!

ArmPauloFerreira disse...

Conheço o Pleasantville desde que saiu para cinema. Na verdade vi-o no dia da estreia por cá e sempre o adorei desde então. É uma espécie de tesouo desconhecido. Tanto a nivel da história em jeito de fábula e ao nível visual é surpreendente.

Mas o melhor dele é ainda o tom com que é filmado pois parece percorrer maneirismo, processos e formas de filmar da história do cinema. Pode-se fazer dele várias leituras da evolução da sociedade também.

Muito bom e recomendado a quem quer filmes com muito sumo...

Cataclismo Cerebral disse...

Parece light na sua abordagem aos temas, mas dá que pensar ;)

Abraço

blog da pipoca disse...

Belo blog sim senhora...
O filme é realmente muito bom, mas confesso que não percebi o intuito do teu comentário. Estás a fazer uma crítica ou um resumo do filme? É que se noutros filmes fazes críticas boas, mesmo se nem sempre concorde. Aqui limitas-te a contar o filme...
Mas continua...

Cataclismo Cerebral disse...

Não. Tenho sempre o cuidado de não contar muito sobre os filmes. Revelo alguns temas de Pleasantville, mas ainda assim não contei nada que não tenha sido já expresso na comunicação social. Por vezes a paixão exacerbada por alguns títulos podem-nos pregar partidas, mas tento-me controlar ao máximo...

Abraço!