quarta-feira, 27 de junho de 2007

Já dizia o Andy Warhol

A cada semana, aparece uma figura pública a ocupar o patamar das acções ou diálogos ridículos. Até há pouco tempo tinha sido Mário Lino e o seu deserto; depois desses sofríveis 15 minutos de fama, eis que se insurge Joe Berardo. Tem sido um rol do "diz que não disse", quer seja para comentar a situação do Benfica (e Rui Costa), quer seja para apurar as questões agora relacionadas com o CCB. Só espero que as próximas aparições de Berardo sejam mais estudadas e orientadas para um discurso com pés e cabeça.

5 comentários:

curse of millhaven disse...

uuuf....o JOSÉ Berardo (lol) pode ter muito dinheiro mas teve a sorte d para enriquecer não precisar de grande intelecto. apenas faro para os negócios.

curse of millhaven disse...

ah e trafulhice à mistura!

Betty Coltrane disse...

caguei-me a rir com esta pérola: "podemos mudar de casa, podemos mudar de país, podemos mudar de SEXO(!), mas de clube nunca mudamos!!!"

É o novo-rico chapado! E amanhã vamos ver o personagem ao vivo, zé, não te esqueças!! ;P

João HB disse...

E não te esqueças do Fernando Negrão a baralhar as siglas das empresas municipais. E eu que até simpatizo com o senhro.
Agora o Berardo é mesmo uma grande peça.

niskas disse...

epah, o que esperas dessa gente...e depois a geração rasca é a minha!!!deviam po-los tds num alcatraz e fazer um reality show.Duvido que ñ fosse a comédia do milénio.
bj